CFCH - Centro de Filosofia e Ciências Humanas

>> DESTAQUES

CFCH homologa eleição de novos conselheiros

Cotav

Entre os pontos de pauta da Ordem do Dia, os conselheiros também discutiram o item referente à Comissão Temporária de Alocação de Vagas (Cotav). De acordo com o informe do professor Rodrigo Rosistolato, representante do CFCH no Conselho de Ensino de Graduação (CEG), a Comissão deverá dispor de 100 a 150 vagas para distribuição entre as unidades. “Ainda no melhor cenário, é um número muito aquém das nossas necessidades, suficientes apenas para suprir o pedidos de aposentadorias”, comentou o professor.

Cais do Valongo, patrimônio da Humanidade

Durante o expediente, a professora Ludmila Fontenele, superintendente acadêmica do CFCH, deu o informe sobre o reconhecimento do Sítio Arqueológico Cais do Valongo como Patrimônio Histórico da Humanidade, por parte da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco). O local foi o principal cais de desembarque de africanos em condição de escravidão em todas as Américas e também um dos únicos preservados materialmente. Com este reconhecimento, o Cais do Valongo se torna, ao lado do Campo de Concentração de Auschwitz, na Polônia, e da cidade de Hiroshima, no Japão, como locais de memória e sofrimento. As professoras Mônica Lima, do Instituto de História (IH) e vice-decana do CFCH, e Tania Andrade Lima, do Museu Nacional da UFRJ, participaram do dossiê técnico, elaborado pelo Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (Iphan), que apresentou a candidatura do Cais do Valongo junto à Unesco.

Fonte: Agência Brasil

 

Saúde Mental

O professor Francisco Teixeira Portugal, do Instituto de Psicologia (IP) e coordenador de Integração Acadêmica de Pós-Graduação do CFCH, relatou o debate, ocorrido no âmbito da recente Plenária de Decanos e Diretores, acerca do suicídio de um estudante do curso de Medicina do campus Macaé. O episódio trouxe de volta ao Conselho do CFCH a reflexão acerca da necessidade de um debate em toda a universidade sobre a saúde mental do corpo discente da UFRJ. “Notamos um consistente processo de adoecimento dos estudantes na universidade. Este fato precisa ser acompanhado mais de perto pelas instâncias acadêmicas. Hoje, as Comissões de Orientação e Acompanhamento Acadêmico (COAAs) contribuem para o mapeamento e encaminhamento inicial deste problema. Mas precisamos ampliar esta discussão e elaborar uma política de cuidado e assistência”, comentou Portugal. “Temos que pensar, sem a pressão do calor dos acontecimentos, em como a UFRJ pode atuar neste sentido, de forma objetiva, a partir dos recursos e das instâncias de que já dispomos”, acrescentou Lúcia Rabello, diretora do IP-UFRJ.

Debate no CAp

O professor André Uzêda, representante dos professores da categoria do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT) no Conselho do CFCH, informou sobre a realização da mesa “A cultura plural construindo a cultura inclusiva”, que acontece nesta quarta-feira (12/07), às 18h, no Colégio de Aplicação (CAp) da UFRJ. A mesa é a segunda e última da série de debates “O que interroga a escola”, realizada pela Direção do Colégio. As palestrantes serão as professoras Inês Barbosa, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), e Mônica Pereira dos Santos, da FE-UFRJ. As inscrições devem ser feitas pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .  

 

Foto: Agência Brasil/Tomaz Silva

Compartilhe este conteúdo