CFCH - Centro de Filosofia e Ciências Humanas

>> DESTAQUES

Projeto da Decania do CFCH sobre Literatura Brasileira seleciona extensionistas

 

Interessados deverão comparecer a evento que homenageará Clarice Lispector

A Decania do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) realiza, no próximo dia 26 (quarta-feira), mais uma edição da série “Compartilhando Leituras”, em que professores da Faculdade de Educação (FE) apresentam obras de autores da Literatura Brasileira. 

Na edição de junho, será a vez do professor Antônio Andrade falar sobre “A legião estrangeira”, de Clarice Lispector. Durante o evento, será realizada a seleção de candidatos a estudantes extensionista para atuarem no projeto da Decania do CFCH. Os interessados deverão comparecer ao encontro e preencher os dados solicitados. 

O evento acontece a partir das 14 horas, no Auditório da Decania do CFCH, localizado no 2º andar do prédio da Decania do CFCH, no campus universitário da Praia Vermelha (Avenida Pasteur, 250, fundos, Urca). Aberto ao público.

Sobre o livro

Os 13 contos de A legião estrangeira abordam o cotidiano familiar, a perversidade infantil e a solidão. Como apontou o escritor Affonso Romano de Sant’Anna na introdução de uma antiga edição do livro, para Clarice Lispector importa mais a geografia interior. "Em vez de tipos épicos e dramáticos, temos figuras situadas numa aura de mistério, vivendo relações profundas dentro do mais ordinário cotidiano", escreveu. "Mais do que as aventuras, interessa-se por descrever a solidão dos homens diante dos animais e objetos."

Entre os contos destaca-se "Viagem a Petrópolis", escrito quando Clarice tinha apenas 14 anos. Neste, a precoce escritora narra a absurda solidão de uma velhinha que, sem lugar para morar, é empurrada de uma casa para outra. E o leitor perceberá em "Os desastres de Sofia" uma história de transparente sensibilidade, em que a autora aborda a perversidade infantil por meio do relacionamento de uma aluna com seu professor.

A vulnerabilidade dos animais diante dos homens, e vice-versa, está presente em "A quinta história", "Macacos" e ainda em "A legião estrangeira". Como também apontou Affonso Romano de Sant’Anna, a tensão nos contos de Clarice surge da oposição Eu x Outro, que pode ser um animal, uma criança ou uma coisa. "Dessa tensão é que surge a epifania, a revelação de uma certa verdade."

A legião estrangeira, como os demais títulos de Clarice Lispector relançados pela Rocco, recebeu novo tratamento gráfico e passou por rigorosa revisão de texto, feita pela especialista em crítica textual Marlene Gomes Mendes, baseada em sua primeira edição.

Fonte: Site da Editora Rocco 

Sobre a autora

Considerada um dos maiores nomes da literatura brasileira, Clarice Lispector estreou com o premiado romance Perto do coração selvagem (1943) não sem causar certo incômodo em parte da crítica da época, dada sua escrita peculiar e inovadora. Além de romancista, autora dos aclamados A paixão segundo G.H. (1964) e A hora da estrela (1977), firmou-se como grande contista graças a títulos como Laços de família (1960) e A legião estrangeira (1964). Sua produção inclui também obras para o público infantojuvenil e um vasto número de crônicas. Seus livros hoje são amplamente traduzidos e divulgados, o que faz com que Clarice Lispector seja comparada a Virginia Woolf, James Joyce e Katherine Mansfield.

Fonte: Site do Instituto Moreira Salles (IMS)

Compartilhe este conteúdo