CFCH - Centro de Filosofia e Ciências Humanas

>> DESTAQUES

A Universidade cumpre o seu papel

Na inauguração da exposição "UFRJ 68+50 - histórias, memórias e verdade", reitor reafirma o compromisso da instituição com a Democracia

O Espaço Memória, Arte e Sociedade Jessie Jane Vieira de Souza (Espaço JJ), vinculado à Decania do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH), inaugurou, na última quarta feira, dia 20, a sua oitava curadoria, "UFRJ 1968+50 - histórias, memórias e verdade". A cerimônia de abertura (foto ao lado), realizada no Auditório Professor Manoel Maurício de Albuquerque (cujo nome é uma homenagem ao docente da UFRJ, cassado, preso, torturado e exilado durante a ditadura civil-militar), contou com a presença do reitor da UFRJ, professor Roberto Leher; do decano do CFCH, professor Marcelo Macedo Corrêa e Castro; da diretora da Divisão de Memória do Sistema Integrado de Bibliotecas (SiBI), professora Andrea Queiroz; e da professora aposentada do Instituto de História (IH) da UFRJ, Jessie Jane Vieira de Souza, homenageada que dá nome ao Espaço.

Roberto Leher iniciou o debate falando sobre a importância de os intelectuais refletirem acerca dos tempos da ditadura civil-militar brasileira e também sobre as formas de abordagem deste tema. "Este contexto histórico, que parece estar estreitando as alternativas democráticas, é o momento de organização e de nos mantermos firmes. A meu ver isso é uma responsabilidade também dessa instituição de ensino", enfatizou o reitor da UFRJ. Leher parabenizou o projeto, os membros do Sibi e os jovens que, segundo ele, "estão incorporando e levando essa pauta com tanta competência e ousadia intelectual". Corrêa e Castro relembrou o início do projeto, durante a gestão da professora Lilia Pougy, decana do CFCH entre 2014 e 2018. "A universidade não pode parar. A ciência, o estudo, a construção de um chão para a História é o que fazemos aqui", disse o decano do CFCH, após relembrar episódios do golpe militar de 1964 e de como a UFRJ foi afetada.

Democracia e capitalismo

Jessie Jane discorreu sobre o medo diante do que considera “um novo governo autoritário, que se institui atualmente no Brasil”, e relembrou a repressão sofrida na prisão durante a ditadura civil-militar a partir de 1964. “É necessário compreender a mudança de acumulação do capital para entender o que aconteceu em 1964 e o que está acontecendo atualmente”, afirmou a homenageada. "Será que é possível uma sociedade democrática no capitalismo?", indagou ao finalizar. Andrea Queiroz falou sobre a elaboração da curadoria, dos objetivos e da pluralidade de visões sobre o que foi o período iniciado em 1964 e os 21 anos de desdobramento. Após a cerimônia, os convidados participaram de uma visita guiada ao Espaço (foto ao lado), comandada pelo professor de História Gabriel Richard, bolsista do projeto Espaço JJ.

A próxima atividade da curadoria acontecerá no dia 27 (quarta-feira), às 10 horas, no Auditório da Decania, localizado no segundo andar do prédio do CFCH. A atividade contará com a exibição dos curtas “Manhã Cinzenta” (1969, 22min, direção de Olney São Paulo) e “Vou contar para os meus filhos” (2011, 24min, direção de Tuca Siqueira). O evento é aberto ao público e conferirá certificado aos participantes. 

Quartas de Verdade

Semanalmente será realizada a série “Quartas de Verdade”, cuja programação inclui debates, exibições de filmes e palestras com temáticas afins. Confira a programação abaixo:

03/04 – Quartas de Verdade: debate “Comissão da Memória e Verdade UFRJ”.

17/04 – Quartas de Verdade: debate “Reforma Universitária e a dissolução da FNFi”.

08/05 – Quartas de Verdade: debate “Memória, Cultura e História”.

22/05 – Quartas de Verdade: Livro “A Verdade é Revolucionária”

05/06 – Quartas de Verdade: debate “História Oral: Marcas da Memória”.

Espaço Memória, Arte e Sociedade Jessie Jane Vieira de Souza

O Espaço Memória, Arte e Sociedade Jessie Jane Vieira de Souza está localizado no segundo andar do prédio da Decania do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH), no campus universitário da Praia Vermelha da UFRJ. É um projeto institucional de integração acadêmica da Decania do CFCH e credenciado no Sistema Integrado de Museus, Arquivos e Patrimônio Cultural (Simap). Trata-se do primeiro espaço cultural da UFRJ inserido em Decania com a participação de todas as unidades deste Centro. Ele tem como objetivo promover exposições no campo das Ciências Humanas e Sociais, através da articulação com movimentos da sociedade civil, numa perspectiva transdisciplinar, sobre temas contemporâneos que articulam ensino, pesquisa e extensão. 

As atividades promovidas através deste projeto, realizadas com a participação das unidades e órgãos suplementares do CFCH e instituições parceiras, incluem seminários, rodas de conversa, debates com projeção de filmes, feira de livros, entre outras. O Espaço tem como público-alvo preferencial estudantes de escolas de educação básica das redes públicas, associações de moradores, estudantes de diferentes instituições de ensino superior, movimentos sociais, sindicatos, profissionais e gestores de políticas públicas, estando aberto à população em geral. Em suma, é um espaço formativo que potencializa as trocas entre os sujeitos e os saberes, promovendo maior integração entre a UFRJ e a sociedade.

Leia também:

Espaço JJ inaugura a curadoria “UFRJ 68+50 – Histórias, memórias e verdade”

 

Créditos das fotos:

Foto 1 (mesa de inauguração): SiBI/UFRJ

Foto 2 (visita guiada): Fábio Marinho/ESS-UFRJ

Compartilhe este conteúdo