CFCH - Centro de Filosofia e Ciências Humanas

>> DESTAQUES

Muniz Sodré completa 80 anos

Muniz Sodré de Araújo Cabral, professor emérito da Universidade Federal do Rio de Janeiro e titular da Escola de Comunicação (ECO), completa 80 anos neste dia 12 de janeiro.

Sodré nasceu em São Gonçalo de Campos, Bahia, em 1942. Graduou-se em Direito, em 1964, pela Universidade Federal da Bahia (Ufba) e concluiu, em 1967, o mestrado em Sociologia da Informação e Comunicação pela Université Paris-Sorbonne e, em 1978, o doutorado em Letras (Ciência da Literatura) na UFRJ. Foi presidente da Fundação Biblioteca Nacional, de 2005 a 2011. Desde outubro de 2019 ocupa a cadeira 33 da Academia de Letras da Bahia.

Um dos fundadores da ECO, em 1967, ele ajuda a formar profissionais de Comunicação Social há 55 anos, tendo sempre como norte o pensamento crítico e uma perspectiva transdisciplinar dessa área de conhecimento. Possui mais de 40 livros publicados, entre eles, O Monopólio da Fala (Vozes, 1982), O Terreiro e a Cidade (Vozes, 1988), A Máquina de Narciso (Cortez, 1992), A Verdade Seduzida (Francisco Alves, 1994), Claros e Escuros (Vozes, 1999), Antropológica do Espelho (Vozes, 2002), As Estratégias Sensíveis (Vozes, 2006), A Ciência do Comum (Vozes, 2014) e Pensar Nagô (Vozes, 2017). 

Sua mais recente obra é A Sociedade Incivil: Mídia, Iliberalismo e Finanças (Editora Vozes, 2021), em que aborda o tema do ódio disseminado nas redes sociais como resultado do modelo político-econômico contemporâneo. “Na relação odienta, não há amigos, apenas inimigos reciprocamente ofensivos. Essa reciprocidade ofensiva está dentro da forma social do ódio. Ela é adequada ao capitalismo financeiro, ao mercado, à política neoliberal. E o resultado disso é a sociedade incivil”, analisa Sodré, em entrevista concedida ao Setor de Comunicação (Secom) do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) em 24 de abril de 2020, poucas semanas após se recuperar de 45 dias de internação devido à Covid-19. 

Clique aqui para acessar a entrevista na íntegra.

Assista também: 

Pensando a sociedade incivil: racismo, violência e mídia em tempos de pandemia

Compartilhe este conteúdo